Tuesday, December 05, 2017

Formação de Palestrantes 
em Linguagem Corporal

Objetivo
O Curso tem como objetivo formar as participantes em Palestrantes de Linguagem Corporal.  
Programa inédito no Brasil. O mais completo curso do mercado.

Total:  5 Módulo integrais – Interligados
Mais um módulos de apresentação de trabalhos.

Início – 10 de Março  de 2018
Horário -09:00 – 18:00 horas.  São Paulo - Capital 
Módulo com 45 dias de intervalo.
  
Módulo I  - Linguagem corporal – Módulos A e B
Módulo II -  Linguagem corporal e o corpo feminino -
Módulo III -  A mentira  –
Módulo IV -  Liderança e Linguagem Corporal
Módulo VI -  Apresentação dos trabalhos
Cada módulo duração de 01 dia presencial.  Sábado.
10 questionários individuais.
Formação. Apresentação palestra de no mínimo 15 minutos com tema a ser escolhido.

Módulo I  -  Linguagem corporal
Introdução
1. Somos especialistas
·       Como os homens se comunicam • Comunicação linguística
·       Comunicação não linguística
·       O ato de comunicação
·       Comunicações não verbais
·       Principais funções da linguagem não verbal
·       Barreiras nas comunicações
·       Onde é aplicada a linguagem corporal

2. Os movimentos corporais
·       O corpo trai
·       Movimentos de intenção: ação
·       Movimentos corporais e fala
·       Exercícios práticos

3. Os sinais primários: Livro de apoio: A linguagem das emoções
·       Questionário
·       Estudo da obra de Paul Ekman – Outros estudos
·       Raiva
·       Medo
·       Alegria
·       Nojo
·       Surpresa
·       Desprezo
·        Expressão compostas
·        Estudo de caso – Suzane Richthofen
·       Exercícios práticos


4. Os gestos  - Desmond Morris
·       Gestos e culturas
·       Funções dos gestos,
·       Ilustradores
·       Adaptadores
·       Expressivos
·       Mímicos
·       Técnicos
·       Codificados
·       Simbólicos
·       Esquemáticos
·       Gestos obscenos
·       Alternativos
·       Relíquias
·       Exercícios práticos


5. As mãos
·       Mãos com adornos
·       Simbolismos das mãos
·        Tipos de apertos de mão
·        Técnicas de contatos
·       Exercícios práticos


6. O rosto
·       Os óculos
·       Manejo dos óculos
·       Tipos de olhar – afetivo – profissional - sexual
·       Os movimentos oculares
·       Comportamento do olhar
·       Maneiras de olhar
·       Os lábios
·       Os cabelos
·       Pupilometria
·       Exercícios práticos

7. Olhar  - Olhos o espelho da alma.      
·       Principais tipos
·       Olhar Profissional – Afetivo – Sexual
·       Abordagem aos clientes
·       Entrevistas  
·       Como utilizar o corpo e a face para negociar melhor
·       Exemplos práticos



Módulo II – A linguagem corporal e o corpo feminino
6. O corpo feminino
·       O corpo feminino
·       Evolução
·       Observação
·       Histórias
·       Exercícios práticos

8. O corpo
·       Cabelos
·        Estudos – tipos de cabelos e corte
·        Cabelo como definição de gênero 
·       Tatuagens – Estudos
·       Características pessoas tatuadas
·       Motivos por quais as pessoas se tatuam
·       Exercícios práticos

9. As pernas e os pés
·       Os pés 
·       As pernas
·       Posições
·       Exercícios práticos

10. Os sinais sexuais
·       Como os homens e as mulheres paqueram
·       Visualização
·       Fases da paquera
·       Chamar a atenção 
·       Fase de reconhecimento
·       Fase de interação
·       Fase de resolução sexual
·       Exercícios práticos


11. O espaço pessoal
·       Estudos da Proxêmica 
·       Territórios  
·       Comportamento territorial
·       Principais distâncias – Íntima  - pessoal –social – pública.
·       Rituais de espaço - Contato com clientes
·       Mesas – posicionamento nas negociações. Anulação - interação – isolamento.
·       Utilização correta dos espaços nos contatos interpessoais.
·       Exercícios práticos

12. Os seios e os olhos
·      Importância
·      Evolução
·      Histórias
·      Exercícios práticos


13. A Face feminina e a linguagem corporal 
·       Estudos
·       Importância 
·       Olhar, tipos de olhar
·       Histórias
·       Exercícios práticos

Módulo III  - Mentira
14. Não minta pra mim.
·        A dificuldade em definir a mentira - Dr. David Livingstone
·        Desmistificando a mentira
·        A mentira na natureza
·       As mentiras que contamos
·       O autoengano
·        Porque mentimos
·       Sinais corporais de mentira
·       A mentira cruzada
·       A mentira dos infiéis -  e outros
·       O conto do vigário
·       As mentiras escritas
·       Como mentir melhor
·        Como pegar um mentiroso
·        Como identificar mentiras nos clientes e parceiros.
·        Estudos e técnicas de reconhecimento.
·        Técnica nas entrevistas, dinâmicas de grupo. 
·       Microexpressões e mentira
·        Estudo de caso – Casal Nardoni - Lula
·       Exercícios práticos


Módulo IV -  Liderança e Linguagem Corporal - Abril
16. Liderança e linguagem corporal 
·       Como identificar o líder pela linguagem corporal
·       Identificação de traços de liderança pela linguagem corporal
·       Treinamento de liderança por meio da linguagem corporal
·       Principais posturas dos líderes mundiais – Obama, Clinton etc.
·       Como alavancar a liderança por meio de gestos
·       Gestos que os líderes utilizam
·       Gestos que os líderes devem evitar
·       Exemplos práticos

16. Gestos de poder e submissão 
·        Principais gestos de poder
·        Como passar confiança – gestos a serem utilizados
·        Gestos de submissão
·        Gestos a serem evitados
·        Exemplos práticos

17. Linguagem corporal para Forças de Segurança
·       Estudo
·       Como observar suspeitos
·       Importância da técnica
·       Exercícios práticos
18. Estudo de 100 gestos -
·       Frustração
·       Raiva
·       Humildade
·       Arrogância
·       Indecisão
·       Preocupação
·       Vergonha
·       Liderança
·       Atenção
·       Defensividade
·       Impulsividade
·       Estresse
·       Exercícios práticos

19. Tornando-se um especialista
·        Estudos
·       Técnicas
·       Literatura de apoio
     
 Informações gerais
     Livros do autor sem custos.
     Livro Linguagem Corporal - Paulo Sergio de Camargo
     CD com Power Point
     Pagamento parcelado
     Número de participantes limitado -
     
Cada sessão será realizado em estudos de caso em vídeos:
-  Caso 01 Daniela Perez - Entrevista o Ratinho Guilherme de Pádua
-  Caso 02 Casal Nardoni
-  Caso 03 Mércia etc.
-  Caso 04 Caso Clinton
-  Caso 05 Filho dono da Gol
-  Mais de 600 fotos  e 60 filmes de curta duração
-  Total de 20 estudos de casos práticos.


Livros a serem estudados durante o curso: (não entregue)
Morris, D. O macaco nu. São Paulo: Círculo do Livro, 1973.
______. Você. Um estudo objetivo do comportamento humano. São Paulo:
Círculo do Livro, 1977.
______. A mulher nua. Um estudo do corpo feminino. São Paulo: Globo, 2005.
Knapp , M.; Hall A. J. Comunicação não verbal na interação humana. São Paulo:
JSN, 1999.
Smith, D. L. Por que mentimos. Os fundamentos biológicos e psicológicos da mentira.
Rio de Janeiro: Campus, 2006.
- A linguagem das emoções. Paul Ekman.
- A mentiroso em sua vida. Robert Feldman.


Curso exclusivo
       
Livros de Paulo Sergio de Camargo
                Linguagem Corporal –Técnicas para aprimoramento de relações interpessoais e profissionais.
                Não minta pra mim. A psicologia da mentira e a linguagem corporal. ED. Summus.
                Liderança e Linguagem Corporal.  Técnicas para aprimoramento e aperfeiçoamento de líderes. ED. Summus. 2018.

  

Inscrição
Inscrição e valores: grafonauta@terra.com.br 

Tuesday, September 26, 2017

Assinatura de Marcelo Odebrecht


Existem várias polêmicas em relação a avaliação de uma assinatura isolada. De acordo com Torbidoni, em palestra na Sociedade Espanhola de Grafologia: "causa espanto a importância que algumas escolas dão a assinatura, já que no decorrer da onda gráfica podemos observar toda a personalidade do escritor. A escola italiana do Padre Moretti, portanto, não avalia a assinatura com a intensidade de outras. 

Nem céu, nem inferno. A assinatura precisa e deve ser analisada, todavia muitas vezes sua importância para o perfil final é relativa.
É possível analisarmos uma assinatura isolada. Em alguns casos: com certeza sim. Na maioria: não.
Fazer um perfil completo somente com a assinatura: Decididamente quase que não. 
A assinatura contém conteúdo expressivos inconscientes, mas também representativos e projetivos. Além do que o momento em que a pessoa passa é decisivo. Basta observar a assinatura do Presidente Richard Nixon, antes, durante e depois do impeachment. 
Existe sim assinatura expressivas no qual a personalidade do escritor é facilmente observada, como a do presidente pedófilo paraguaio Fernando Lugo.
Na minha teoria dos Traços catalizadores e Traços Marcadores, ainda não consegui levar isto para a assinatura.

Mas, vamos observar a assinatura de Marcelo Odebrecht. 
Os brasileiros de antemão têm uma percepção da figura pública. (aqui não falamos mal de ninguém, apenas analisamos de maneira isenta as escritas. Sabemos a estória e trajetória, portanto também existe a possibilidade de contaminação da análise. 
Todavia não é o que se vê quando grafólogos de outros países e mesmo grafólogos brasileiros que não sabem a origem da assinatura, chegam a conclusões parecida.

O grafólogo não se contamina com ideologia, preferências pessoais etc. Há alguns anos em um grupo de discussão de língua espanhola, elogiavam a escrita de Che Guevara de forma totalmente contaminada pela ideologia. Quanto apontei, escrita suja, traço de agressividade e brutalidade, mentira, dissimulação, tentaram de inícios desacreditar. A grafologia falou mais alto. 

Vejamos a assinatura:


Assinatura ilegível, tombada, acerada, decrescente, traços regressivos em arpão (rasgo do escorpião), arcadas e ponto final na assinatura. Traço final em linha reta. Traços dextrógiros (sentido do relógio em contraposição dos traços regressivo. Escrita confinada a zona média.

A conclusão é muito fácil. Não existem dúvidas do perfil. 



Paulo Sergio de Camargo
Grafologia - Linguagem Corporal

Loja Virtual - Livros de Grafologia



Wednesday, July 19, 2017

Assinatura de Lula na Intimação de Moro.


Assinatura de Lula na Intimação de Moro.



Observações:
São visíveis a perda da qualidade gráfica da assinatura em relação das demais analisadas neste blogg e sem dúvida é a a pior em mais de 25 anos observando os mais diversos texto do político.
A perda de legibilidade da assinatura fica por demais evidente.
Existem algumas torções:  tensão, ansiedade, sofrimento. 
Retoques: insegurança, necessidade de conferir, refazer, tensão, ansiedade, estresse.
Na letra u é visível o ângulo: novamente tensão, agressividade.
A letra a de Lula praticamente desaparece e observamos um ângulo inesperado cujo nome facilmente o identifica: bico de papagaio - agressividade encoberta por justificativas ou amenidades - agressividade escondida sob o manto da injustiça - agressividade oculta. 

A agressividade é corroborada pelo finais para baixo nas letras t e e da palavra "pretendo. 
Este finais de acordo com a escola italiana de Marco Marchesan são chamados de traços da brutalidade. O nome fala per si. Já descritos neste blogg. Todavia a interpretação necessita ser confirmada por mais traços. 

Rizzos da Brutalidade
Presentes as leis XII, XIII, XXII. Tendência Motriz: Brutalidade
Características gráficas – São notáveis os engrossamentos repentinos e violentos no final das letras que ultrapassam (no traço descendente) a linha de base. Também ocorrem no meio das palavras. A pressão se amplia no final, muitas vezes de forma massiva.
Traço mais frequentes em homens, nas mulheres parece ser exceção.
            Tendências satélites:
Ø Na inteligência – Obliteração parcial da responsabilidade.
Ø No sentimento – Cólera irresistível e violenta. Falta de Sensibilidade da voz da consciência ao julgar as descargas violentas.
Ø Na vontade – Expressões de atitude de mando que por vezes dão medo. Escassa aptidão para chefiar pela inclinação para destruir o espírito de colaboração e por reações agressivas e violentas.
Ø Violência material imprevista. Gosto por ver sofrer. Crueldade. Maligno. Ira inesperada.
De acordo com Antonello: “trata-se de um traço de raiva e oposição; de conotações viris; consiste em uma profusão de energia, no exercício da força; em uma ação autoafirmativa; de rebelião ou desafio contra qualquer coisa que não aceita.” (em artigo da Revista Gramma)
Tendência de se impor para a conquista das coisas ou pessoas, superar todos os obstáculos para realizar as próprias aspirações e assim reagir com violência para obter a força tudo aquilo que necessita.
O escritor formula respostas inadequadas a fatores ou eventos estressantes por excesso de reação. Normalmente as descargas coléricas e de raiva são desproporcionais em relação à causa desencadeante; existem reações descontroladas e irracionais. 

Letras ovais
As letras ovais na grafologia simbolizam o "Eu".
O a da palavra Lula é praticamente ilegível e a letra o da palavra pretendo é achatada. Demonstram que a percepção do "EU" está bastante alterada, deteriorada, por assim dizer. Infelizmente.

A barra do T 
Outrora era firme, direta e ascendente é executa em curva e descendente. Perda de tônus, energia.

Escrita desligada
A escrita desligada é sinal clássico de intuição.

Conclusão
A perda de energia é visível, assim como a percepção de si e da vontade.


Paulo Sergio de Camargo
Grafologia - Linguagem Corporal

Loja Virtual - Livros de Grafologia  http://grafonauta.tudonavitrine.com.br/





Monday, June 19, 2017

Grafologia, jazz, xadrez, movimentos etc.
Como ser um bom grafólogo.


Prólogo
Há anos coloco alguns posts no Facebook e adjacências, são filmes pequenos, clipes etc. Outras vezes postos algumas fotos de bailarinas ou animais caminhando. Digo que é uma aula de grafologia.
Ao escrever:
- “Se você não acha que isto é uma aula de grafologia, você não é grafólogo.”
Talvez, seja um exagero e certamente talvez seja, mas existe um fundo de verdade. Estudar somente grafologia e não analisar a escrita dentro de um contexto social, universal etc., não faz do profissional um mal grafólogo, ao contrário. Todavia tira dele o potencial de ser muito, muito, mais... infinitamente melhor.
Ao estudar as mais variadas técnicas de dança, o grafólogo começa a compreender o movimento expressivo em sua totalidade. Não por outra Allport e Vernon em seus estudos sobre os movimentos expressivos, na Universidade de Harvard;  relacionam a grafologia, a dança, ao caminhar, falar etc.
Para Pulver:
-O grafólogo é um tradutor de movimentos.”
Então, temos que estudar movimentos, qualquer que seja, pois eles são a “alma da escrita”.
Não só movimento, muitas coisas mais. Inclusive a Teoria do Caos. E o que a Teoria do Caos tem com a grafologia? Este é um artigo para depois.
Voltemos ao título deste artigo. (no final cito as fontes do artigo)



Martim Vasques da Cunha, escreve no Estadão do dia 03 Junho 2017, que o músico francês Pierre Boulez escreveu no ensaio Alea que busca pela verdadeira surpresa, não por meio do “acaso por inadvertência” ou “por automatismo”, e sim numa absorção espontânea do aleatório que faria a obra de arte superar o intelecto e provocar uma comunicação intuitiva que permitiria ao espectador entender a intenção original do artista.
Na interpretação da escrita, além da palavra surpresa (a intepretação da personalidade muitas vezes nos surpreende), poderia acrescentar ou trocar pelas palavras “descoberta e/ou intepretação”.  Tente fazer disto um link com a grafologia.

Vamos mais adiante:
Quando jovem, Kubrick preocupava-se somente com três atividades que envolviam o acaso: o xadrez, o jazz e a fotografia. Para Kubrick, o que lhe interessava no xadrez era o cálculo das probabilidades, dentro de uma determinada estrutura (o tabuleiro e as peças), e como ele poderia surpreender a si mesmo em uma situação inusitada.
O jazz atingia níveis extremos de improvisação, mesmo determinada pelas notas ou acordes, o que lhe permitia perceber o instante mágico em que ficava nítida a ousadia do compositor. E, na fotografia, a procura pelo “momento decisivo” (termo de Henri Cartier-Bresson) no gesto ou olhar de uma pessoa era similar à busca da “verdadeira surpresa” de Boulez.

Então o que faz o grafólogo:
As possibilidades de combinação entre gêneros e espécies são infinitas. Agregue a isto a evolução da escrita com o surgimento de novos traços, novas formas etc.
O grafólogo necessita pensar nas possibilidades que estas combinações trazem. Não por outra que uma das chaves dos principais mestres em obras são estas combinações. Vive Jamin, Moretti, Klages, Pulver, Xandró, Tutussaus, Vels etc.
A grafologia pode e deve utilizar a estatística como ferramenta, mas não com a frio cálculo matemático que desejam alguns teóricos, e sim com instrumento de interpretação e reconhecimento que existe algo mais para ser interpretado na avaliação dos números.  Sem isto ficamos no “acaso por inadvertência” ou “por automatismo”, proposto por Pierre Boulez.

O que é a escrita senão um conjunto de movimentos que nunca se repetem. Jamin dizia que a escrita totalmente mecânica é contra a natureza humano. Como no jazz a consecução dos movimentos e a improvisação são constantes. Disto teremos as mais incríveis variações, mas como no jazz, existem bom e péssimo instrumentistas. A escrita vai mais além, muito mais. Estudar e escutar jazz é entender a mas susceptíveis variações de ritmo, compasso, harmonia etc. Tudo isto não é tão novo assim, o grafólogo francês Raymond Trillat já elabora isto em seus estudos.



O métodoTrillat é pontos muito curiosos de vista a considerar. Desde a observação que ele chama de "quatro planos simultâneos no ato de escrever" a letra, palavra, linha e de página, a partir do estudo da margem central para os conceitos de ritmo, melodia e harmonia. Uma contribuição muito rica, honestamente. Fernando F. Ruiz.


A dimensão na interpretação da escrita, vai além da “fotografia”, fica ancorada no movimento, na sua interpretação; contudo vai além disto temos o traço, o espaço e a forma.
Como a forma é inserida o espaço, como o movimento se ajusta a forma e ao espaço, como modificam o traço e o traçado.
Não por outra que uma de minhas aulas de grafologia é um casal de bailarinos dançando tango em um tablado de três metros quadrado. O movimento rápido, a forma dos corpos e uso do espaço nos remete ao outro casal dançando tango em uma calçada em Buenos Aires.
Não precisa ser grafólogo para entender que a dança é o tango, mas que os movimentos expressivos totalmente diferentes, embora algumas vezes a intenção é que sejam os mesmos.
Na escrita ocorre o mesmo, a página é a mesma, o movimento, o espaço, o traço e a forma, embora muitas vezes parecidos, nunca são os mesmos: são movimentos expressivos totalmente diferentes. Cabe o grafólogo interpretar isto. E nada com estudar jazz, xadrez e movimento para a melhor compreensão da escrita.




Veja também:
http://www.grafoanalisis.com/ELSIMBOLISMODELESPACIO_GAUTHIER.htm


http://alias.estadao.com.br/noticias/geral,como-stanley-kubrick-usou-o-acaso-e-o-imprevisto-em-seus-filmes,70001823823
Post 153  05.2017 Linguagem corporal. Autoengano e mentiras Porque o Brasil vai sair pior da Lava-jato.
Post 152 05.2017 Linguagem corporal. Como analisar mentiras. 100% e as incongruências. 
Post 151 05.2017 Linguagem corporal de Michel Temer Segundo pronunciamento.
Post 150. 05.2017 Linguagem corporal. Gestos de dominância. Determinação. 
Post 149. 05.2107 Linguagem corporal de Michel Temer no pronunciamento. 
Post 148. 05.2017 A linguagem corporal e os lábios torcidos.
Post 147. 05.2017 10 razões porque você precisa urgentemente aprender linguagem corporal.

Paulo Sergio de Camargo
Palestras – Cursos Linguagem Corporal –Treinamento de líderes  grafonauta@terra.com.br 
Loja Virtual – Livros de Grafologia   http://grafonauta.tudonavitrine.com.br/