Tuesday, April 25, 2017

Grafologia Escrita Esgarçada. Um caso da baleia azul.

  • Escrita Esgarçada. Um caso da baleia azul.



Adolescente suicida.
Chamo este tipo de escrita de “esgarçada”. Em meus estudos ainda não cheguei a conclusão se pode ser considerada uma espécie - seria incluída no gênero ordem.
Todavia a escrita esgarçada é muito fácil de ser identificada, os espaços entre as palavras sãos notórios, além do normal.
O escritor coloca cada palavra como se fosse independente da outra, elas não parecem ter conexão tempo-espaço entre si. Cada palavra é um pensamento “desconectado” fisicamente do próximo (pensamento).
Considerando que a folha papel em branco é um “mundo” no qual transitamos, fica fácil de compreender que quem escreve desta forma, tem dificuldades de transitar por este “mundo”.
As restrições nos contatos pessoais são as mais diversas possíveis. Os espaços psicológicos são mal ajustados, a visão do escritor é distorcida naquilo que considera seus direitos. Enfim, não consegue transitar e nem ver o mundo de forma multifacetada. Sua ótica é pautada pela ansiedade, tensão, medo, separação, distanciamento do outro, da realidade. Não consegue se ligar ao demais.
O relacionamento interpessoal é confuso, o relacionamento intrapessoal caótico.

Em termos da Imagem da Forma de Heiss:
No estudo da perspectiva espacial, Heiss explica o macro comportamento, descrevendo as relações das pessoas com o espaço da seguinte maneira: na irritação percorremos o espaço de um lugar para outro, saltamos de alegria, reconhecemos os signos débeis e redondos com os quais cada um se coloca com seu comportamento ajustado; inclinamo-nos, dobramos, caso tenhamos dor, cansaço ou preocupação. Nosso comportamento está sempre referido ao espaço; uma reprodução de nossas reações anímicas com o espaço.
No micro comportamento de Heiss, fala-se em adaptação espacial, que pode ser mais ou menos alcançada. A imagem espacial da escrita é válida também como reproduções anímicas do espaço. O espaço que rodeia as pessoas é um espaço de vivências; Heiss troca a palavra espaço por “meio ambiente”.
Ao observar a página como um todo, a grafóloga avalia o equilíbrio, as aparências e as perturbações no campo espacial. O equilíbrio ou desequilíbrio interno do escritor vai se refletir no ritmo de distribuição do espaço. (livro: Psicodinâmica do Espaço na Grafologia. Paulo Sergio de Camargo)



Escrita empilhada
Chamo de escrita empilhada àquela em que as palavras ficam uma em cima das outras durante mais de quatro linhas.
Após pesquisar algumas centenas deste tipo de escrita, observei que, dividindo o texto verticalmente em três partes, o empilhamento ocorre essencialmente nas duas primeiras partes (lado esquerdo e meio). Não encontrei escritas em que o empilhamento ocorra na margem direita. Não quer dizer que não exista, apenas não encontrei.
A interpretação é até certo ponto fácil, já que após o empilhamento normalmente temo uma chaminé. Fica evidente o estado de ansiedade.
Contudo a interpretação certamente vai além disto.

Pulver escreve:  
... se a distância expressa a tendência voluntária ou involuntária de separar, que se apoia na posição que geralmente valoriza e na atitude de juízo, a distância entre as linhas  indica em especial a exigência de ordem por parte do espírito.


Mais adiante escreve:
A pausa como repouso criador, pode se transformar em uma distância que parece um buraco. Não é o efeito do intelecto que limita, senão a inibição psíquica que empurra ao isolamento.

Isto se encaixa de maneira perfeita ao espaço deixado à frente das palavras após o empilhamento. Se após o primeiro empilhado de palavra seguir outro, a situação se complica mais para o escritor em termos de interpretação.

Os empilhamentos mais visíveis são os das primeiras linhas no texto e na margem esquerda. 
Isto é importante para a predição do movimento, até mesmo do resultado do movimento grafoescritural em si.
Em 95% das cento e treze escritas pesquisadas, a margem direita é irregular.

Levando em consideração outros fatores: nenhuma das escritas apresentou movimento dinâmico, controlado. Os movimentos eram inibidos, contidos e combinados.
A direção das linhas tende a ser mista na maioria das escritas, com certo padrão para descendente.


Interpretação
A interpretação é até certo ponto facilitada por todos estes fatores acima citados.
Quando ocorre na margem esquerda e em especial nas primeiras linhas:
Lembre-se que nas primeiras linhas o movimento grafoescritural tende a ser consciente. Depois os movimentos inconscientes aparecem. “O consciente escreve o inconsciente dita.” Pulver.

O escritor vive um momento de intensos conflitos, tem noção dos mesmos e da sua intensidade. Sabe que sua vida emocional está tensa e até mesmo desorganizada. Como tem consciência disto, precisa encontrar um meio de se controlar, de dominar as emoções. A tentativa é feita organizando as primeiras palavras (simbolicamente pondo ondem na prateleira).
Todavia isto é artificial. Não tem capacidade e nem habilidade emocional para tal. Logo após a escrita volta a se “desorganizar” e final a margem direita é irregular. Incerteza, preocupação, medo do futuro.
Embora tenha consciência do conflito que vive, tenta, mas não tem capacidade psicológica para resolvê-los de maneira correta.

Escrita empilhada dentro do texto
Inicialmente o escritor não tem consciência do conflito pelo qual passa. De modo inconsciente tenta encontrar uma maneira de se ajustar ao meio em que vive. Como no primeiro caso, gasta energia de modo intenso, mas não consegue o equilíbrio que tenta deseja.
As tensões e ansiedades se ampliam de maneira intensa. O ritmo não flui e a cada tentativa falha conflito se amplia. Quer resolver a situação por qual passa, mas não consegue.


Paulo Sergio de Camargo
Grafologia - Linguagem Corporal

Loja Virtual - Livros de Grafologia






Friday, March 31, 2017


Escrita de Eduardo Cunha.

Assinatura: Filiforme. Ilegível. Final com traço da brutalidade de Marchesan.
Klages dizia que quem tem escrita filiforme não confessa sua cor porque não tem nenhuma e evita a confissão na medida do possível, porque nenhuma necessidade interior obriga-o a isso.

Com traçado rápido, simplificado e sóbrio, mostra capacidade de avaliação global, de perceber a realidade de maneira ágil e de agir sobre ela de modo eficiente. Indica ainda atividade, habilidade para mostrar e impor suas convicções.

Interpretação de Klages -
Esta escrita se encaixa na duas polaridades do autor alemão.
Espírito polifacético, variedade de interesses, habilidade, impenetrabilidade, transmutação, dom de adaptação, diplomacia, dom político.
Indecisão, influência mórbida, ambiguidade, camaleão, falsidade, hipocrisia, inveja, falta de caráter, simulação, astúcia, mimetismo, ausência de retidão.

A assinatura também demonstra o alto nível de personalismo. De maneira inconsciente escreve nos traços iniciais a palavra "eu".

Rizzos da Brutalidade - Final da assinatura. (link Personalidades de Risco)
Presentes as leis XII, XIII, XXII. Tendência Motriz: Brutalidade
Características gráficas – São notáveis os engrossamentos repentinos e violentos no final das letras que ultrapassam (no traço descendente) a linha de base. Também ocorrem no meio das palavras. A pressão se amplia no final, muitas vezes de forma massiva.

Traço mais frequentes em homens, nas mulheres parece ser exceção. 
Tendências satélites:
Ø Na inteligência – Obliteração parcial da responsabilidade.
Ø No sentimento – Cólera irresistível e violenta. Falta de Sensibilidade da voz da consciência ao julgar as descargas violentas.
Ø Na vontade – Expressões de atitude de mando que por vezes dão medo. Escassa aptidão para chefiar pela inclinação para destruir o espírito de colaboração e por reações agressivas e violentas.
Ø Violência material imprevista. Gosto por ver sofrer. Crueldade. Maligno. Ira inesperada. 

De acordo com Antonello: “trata-se de um traço de raiva e oposição; de conotações viris; consiste em uma profusão de energia, no exercício da força; em uma ação autoafirmativa; de rebelião ou desafio contra qualquer coisa que não aceita.” (em artigo da Revista Gramma)
Tendência de se impor para a conquista das coisas ou pessoas, superar todos os obstáculos para realizar as próprias aspirações e assim reagir com violência para obter a força tudo aquilo que necessita. 

No texto: ovais com bases achatadas. De acordo com o brilhante grafólogo espanhol Allende, apropriação indébita. (link Personalidades de Risco)

Por fim: O traço descendente para realizar a assinatura é uma clara mostra que está desanimado e provavelmente vai entregar os pontos.

Solicite seu Perfil Grafológico Pessoal. grafonauta@terra.com.br

Paulo Sergio de Camargo
Grafologia - Linguagem Corporal
Cursos - Palestras
Loja Virtual - Livros de Grafologia