Thursday, December 17, 2009

Reportagem publicada no Globo em 12 de dezembro de 2009.
Cumpre realçar que o grafólogo não realiza diagnósticos médicos em nenhuma hipótese.


Tuesday, December 15, 2009


Unha do criminoso - III parte
O TRAÇO REGRESSIVO

O traço regressivo indica que o escritor procura compensações, algumas devido as necessidades emocionais e dificuldades materiais que teve na infância. (volta ao passado, mãe, útero etc., Pulver) Como a direção do traço é anômala, tenta resolver isto da maneira que não é a mais razoável; ou se adapta a padrões descontínuos, muitas vezes de forma inconsciente. Pode ou não existir constância nas atitudes, mas em geral é não estão em equilíbrio com o meio, especialmente porque no plano interno, as tensões ficam em permanente ebulição.
Em geral a escrita regressiva assinala falta de espontaneidade. Preocupação em tomar iniciativas. Concentração em si mesmo, reserva, prudência e reflexão. Os estímulos ficam mais do que o tempo necessário, causando tensões que inibem o ritmo. Predomínio das tendências individuais sobre as coletivas. Atua muito mais por gostos próprios do que pelas normas. Avidez e necessidade de guardar para o futuro. Solidão e timidez.
Com ângulos; egocentrismo, indisciplina e falta de adaptação (Desurvire).

Interpretação de Klages para o traço regressivo:
Energia, independência, resolução, instinto de conservação, "altruísmo". Necessidade de apropriação, interesse próprio, falta de compaixão, avidez, indiferença, avareza, inveja, maldade, "ressentimento". ("Expression du caractère dans l'ecriture", Delachaux & Niestlé, 1953).



A unha do criminoso na letra P é bastante visível. O traço é acentuado pela existência de ângulos. A agressividade se mistura com sinais de insinceridade e dissimulação.



O escritor pode até mesmo ter dinheiro e bens, mas não conseguirá suprir aquilo que não teve na infância e dificilmente vai fechar este ciclo sem ajuda de especialistas. Portanto a necessidade de ter e reter vai continuar e com certa tendência a se exacerbar; pois não sabe trabalhar com suas frustrações.

O traço é amenizado quando o final se atenua em pequeno laço; voltado para à direita.
Quando o traço fica suspenso, tocando na linha imaginária da censura (limite entre a zona média e a zona inferior), a interpretação de desonestidade é facilmente observada. Embora nem sempre a desonestidade é considera um crime.

Neste caso observa-se que o movimento do escritor se dirige para cima; mas a intenção não é voltar a zona média; a arcada se torna maior. A interpretação diz que o mantém uma posição até certo ponto, para depois tomar a contrária; negando tudo que disse anteriormente. As mudanças ocorrem no plano emocional, físico, efetivo et.c; o escritor faz isto como um meio de sobrevivência. (Karohs)


O traço é projetado para a zona superior. Decididamente vai de encontro a zona média (onde ocorrem os conflitos), mas não chega a penetrar nela, quando isto ocorre o descontrole é maior e a pessoa já externou isto de forma visível. Neste exemplo ainda existe a tentativa de ocultar as intenções. Traços ligados a mudanças emocionais. Observa-se a problemática ligada a esfera sexual. A letra G não sobe até a zona média.

O grafólogo precisa observar que os sinais de desonestidade para serem confirmados devem ser acompanhados por signos de avareza e cobiça (arpões nas palavras iniciais e finais, falta ou margens estreitas, traços finais ausentes o curtos; unha de gato; traços regressivos)
Sem eles, a interpretação muda; especialmente se a pressão for pastosa, a escrita suja, invasiva etc. Nestes casos se acentua a problemática na esfera sexual. Nota-se a combinação de culpa e hostilidade, como o traço está na zona inferior; na maioria das vezes isto é inconsciente.

O traço regressivo, por excelência, nos remete ao passado, a infância; como normalmente termina no lado esquerdo; existem sentimentos e emoções não resolvidas nesta fase; elas estão presentes agora; mesmo que inconscientes; são fortes para influir de forma decisiva na maneira como escritor age.
Algo não revolvido ficou para trás; existe um sentimento de injustiça; existe a necessidade de punição (ou auto) e/ou justificação para os fatos ocorridos; enfim, não se sabe trabalhar com os acontecimentos do passados de maneira adequada.
Muitas vezes são pessoas convencionais e até mesmo de rigorosa educação religiosa. Segundo a grafóloga americana Amend-Ruiz, elas foram obrigadas a aceitar as normas e regras da sociedade. Não só têm o sentimento indefinido de fazer errado, mas também têm uma profunda necessidade de ser punidos por estes sentimentos.

O sentimento de culpa torna difícil a convivência; normalmente, são defensivas e muitas vezes colocam em seu inconsciente a culpa nos outros por suas dificuldades.
Como resultado de uma educação rigorosa, podem concluir que o sexo é mau e se sentem culpados pelos atos sexuais durante a puberdade.


Outra interpretação consistente neste movimento é a raiva. Assim quando escuta algo que não lhe convém, passa a culpar o outro por seus próprios erros (transferência). Nota-se a falta de assertividade. “A culpa não é da mensagem e sim do mensageiro”.

O escritor pratica uma espécie de autossabotagem emocional e pessoal; acredita no ganho secundário da satisfação que tem em agir desta forma. Trata-se, portanto de um traço bastante ligado ao masoquismo, especialmente quando a escrita for angulosa, com arpões, facas, traços acerados, em clava etc.

O Bibliografia será citada no final da série.

Paulo Sergio de CamargoGrafologia - Linguagem não-verbal

http://grafonautas.blogspot.com/

http://www.lingcorporal.com.br/









Tuesday, December 01, 2009


Unha do criminoso - II parte



Forma e localização
A maioria dos traços ocorre na zona inferior e eventualmente na zona média. Muitas vezes de forma camuflada na letra s minúscula nos finais das palavras. De acordo com as teorias jaminianas, o traço que ocupa restrito lugar no espaço é mais importante psicologicamente do que os vistosos.
Para a perfeita análise devemos observar tanto a forma como a pressão dos traços e não somente sua localização. É certo que este traçado inibe o ritmo da escrita; como qualquer outro sinal regressivo. Em muitos casos pode ser considerado como exemplo de escrita bizarra; inacabada e muitas vezes suspensa.







A configuração do traço é bem visível. O ângulo se inicia abaixo da zona média; sobe para esta e depois desce para em forma de curva para a zona inferior. O traço descendente indica intenção; vontade, quanto maior, mais o planejamento; o ato consciente – quando ultrapassa a linha de base (censura) mostra falta de controle. O ângulo então é um freio brusco, de contenção; ao mesmo tempo a curva é de amenidade – portanto no mesmo traço convivem; ímpeto, descontrole, contenção, repressão e o relaxamento (curva); mas esta se faz em forma de arcada (dissimulação, ocultação). Portanto um traço em franco e desenvolvido conflito; o impulso é bastante contraditório e ocorre na zona do inconsciente.


Neste exemplo a letra anterior vem precedida do traço de Mitomania Tipo I; expressa a tendência a fixar-se em uma idéia, a inventar fatos imaginários, a dar uma interpretação subjetiva a fatos reais; expressão de um fantasiar por cima e fora das coisas



Como se posiciona na zona inferior assinala os impulsos inconscientes, materialistas, sexuais, de acordo com as teorias de Pulver.
O que existe são impulsos extremamente contraditórios no movimento grafoescritural, o traço que se prolonga em linha descendente; vertical; é regido pela flexão muscular; na direção do corpo do próprio escritor.
O traço que deveria em sua continuação se transformar em curva e subir – em um movimento de relaxamento para se contrapor a pressão exercida na descida repentinamente se torna um ângulo de aproximadamente zero grau. Caso parasse logo após se transformaria em um arpão ou ganho; todavia continua em uma direção regressiva e em forma de arcada.
Prontidão nas respostas, mas também dissimulação.
Intepretações iniciais
As atitudes do escritor, portanto, são inesperadas.
A escrita regressiva na zona inferior sempre acentua as características do inconsciente. A arcada regressiva é movimento de ocultação, voltada para a esquerda demonstra oposição e vontade de obter aquilo que deseja por qualquer meio; especialmente aqueles não considerados normais.
As interpretações estão ligadas a culpa na esfera sexual, ciúmes, avareza etc.


A bibliografia será descrita no último post.

Paulo Sergio de Camargo

Grafologia - Linguagem corporal

http://grafonautas.blogspot.com/

http://www.lingcorporal.com.br/

Monday, November 23, 2009

Unha do criminoso

Primeira Parte

Histórico

Para muitos grafólogos europeus e americanos, o termo mais apropriado para o chamado “felon’s claw” seria "pressão direcional vinda de baixo”; ou simplesmente pressão direcional. Outro nome deste signo grafológico é “cat’s paw” No Brasil “unha do criminoso e unha de gato, respectivamente. Todavia no Brasil o termo unha de gato é mais ligado ao traço que ocorre no final das letras em forma de ganho e suspenso.

Alguns autores não gostam de nomear traços; mas está é uma das características dos grafólogos desde Michon; com isto se criou um verdadeiro zoológico grafológico de pequenos sinais. Paciência.

O termo "pressão direcional” foi cunhado pelo grafólogo Felix Klein. Suas observações foram feitas em campos de concentração de Dachau e Buchenwald. Klein notou que muitos prisioneiros tinham em sua escrita um a peculiaridade e a chamou de “pressão direcional”.

Ele explica que a "pressão direcional” não é o tipo de pressão normalmente discutido na grafologia. É a pressão invisível oriunda das quatro direções do campo escrito, trata-se de pressão negativa e ocorre sempre nas variações de um traço reto que se transforma em curva.

Klein descobriu que as pessoas com alto nível de rigidez tinham menores chances de sobrevivência em campos de concentração. Para sobreviver era melhor ser flexível e assim se adaptar; especialmente as condições degradantes e difíceis em que viviam.

Em seus estudos concluiu que o traço da pressão direcional tende a aparecer em pessoas com enfrentam situações insuportáveis; mais do que isto, tem escassa esperança de que as circunstâncias pelas quais estão passando vão mudar.

Ao mesmo tempo, possuem um tipo especial de resistência que lhes permite enfrentar estas circunstâncias insuportáveis; mas isto tem alto preço. Ou seja; a negociação interna não que o escritor faz não tem equilíbrio, assertividade. Nem poderia ser diferente.

Assim, utilizam diversas manobras que os ajuda a suportar os momentos de intensa ameaça que estão sofrendo. Todavia qualquer coisa que façam; continuam vivendo sem revolver o medo que os invadi de forma emocional, física e mentalmente.

O conceito não é inteiramente novo, foi descrito por Bernhard Wittlich em Angewandte Graphologie e Pokorny in Psychologie der Handschrift. Fala de escritores que tiveram experiências traumáticas e estão afetados emocionalmente por estes acontecimentos.

Fim da I Parte.

Os autores e a bibliografia utilizadas serão citados no final.

Paulo Sergio de Camargo

Grafologia - Linguagem não-verbal

http://grafonautas.blogspot.com/

http://www.lingcorporal.com.br/

Monday, November 16, 2009

File:Álvaro Uribe Signature.png

Firma de Álvaro Uribe.




Assinatura de Manuel Zelaya
Depois faço uma análise.


Wednesday, November 04, 2009

Pessoal

Detalhes do novo livro e alguns sites úteis.

Caso não consiga o livro ou deseje um com a dedicatória do autor, entre em contato comigo.
Grafonauta@terra.com.br
Terei o prazer.

http://www.gruposummus.com.br/detalhes_livro.php?produto_id=1194


Sucesso Paulo Sergio de Camargo
Grafologia - Linguagem não-verbal
http://grafonautas.blogspot.com/
http://www.lingcorporal.com.br/

Thursday, October 29, 2009

Monday, October 19, 2009




Grafologia Criminal
VIÑALS, Francisco, PUENTE, Mª Luz (2009): Grafología Criminal, Barcelona, Editorial Herder
http://www.youtube.com/watch?v=YJkUk3e6eDg

Os grandes grafólogos se revelam por meio de seus livros.
Talvez a frase acima não seja de todo nova, mas é inteiramente verdade quando se trata do caso Viñals.
Ao longo dos anos FRANCISCO VIÑALS e MARILUZ PUENTES, vem alicerçando uma obra que já é considerada por muitos como uma da principais na grafologia mundial.
Sem exagero, poderíamos dizer: ... como uma da principais na grafologia mundial de todos os tempos.

No ano de 1992 fiz estes mesmos comentários sobre o Augusto Vels no Jornal “A Gazeta do Povo”; o grande mestre gentilmente declinou os elogios em carta manuscrita.
Fato que apenas o tornou maior, já que todos sabemos que o escrito era verdade.

Mas vamos ao livro. São 527 páginas de pura pesquisa em nível internacional.
Capítulo I
Grafoanálisis

Capítulo II
Intervención forense Del perito em grafopsicología

Capítulo III
Examen de alterações patológicas em la escritura

Capítulo IV
Perfiles de criminalidad

Capítulo V
Casos Criminales.

O conteúdo científico do livro é apresentado de forma clara, direta e com linguagem acessível.
No Capítulo V são estudadas diversas escritas de criminosos, tais como: Charles Mason, Hitler, entre outros.

A abrangente pesquisa do casal chega até o Brasil por meio da escrita de Suzane Von Richthofen.

Pelo conteúdo, pelas informações trata-se de uma obra obrigatória para o grafólogo profissional. Tanto com em referências como em pesquisa.

Os grafólogos, especialmente os de língua espanhola e portuguesa agradecem a publicação de um material tão expressivo em conhecimentos.


Sucesso
Paulo Sergio de Camargo
Grafologia - Linguagem não-verbal
http://grafonautas.blogspot.com/
http://www.lingcorporal.com.br/

Tuesday, October 06, 2009

PERFIS GRAFOLÓGICOS
SINTÉTICOS
Por competências


Curso Inédito

Após anos de pesquisas, o profissional em grafologia tem ao seu dispor um novo sistema de grafologia para traçar Perfis Sintéticos.

O sistema das Polaridades, criado por Paulo Sergio de Camargo, agiliza do Perfil Grafólogico.
Merece especial destaque o aprofundamento da técnica grafológica e as correlações entre os 10 tipos de movimentos e as competências.


SUMÁRIO

01. Perfil Grafológico Sintético 04
02. Esquema prático 11
03. Avaliação por camadas 14
04. Dicotomia ângulo/curva de Moretti 20
05. Extroversão e introversão 35
06. Fatiar as espécies grafológicas 42
07. Mentira 40
08. Mais Fatias 60
09. Vontade e Motivação 70
10. Inteligência 75
11. Inteligência – II Parte 87
12. Competência Liderança 91
13. Competência Orientação para os resultados 95
14. Competência Tomada de decisão 97
15. Competência Negociação 100
16. Competência Comunicação 103
17. Competência Gestão de Mudanças 106
18. Competência Empreendedorismo 108
19. Competência Visão Sistêmica 111
20. Competência Relacionamento Interpessoal 114
21. Competência Trabalho em Equipes 117
22. Competência Visão Estratégica 119
23. Competência Criatividade 121
24. Competência Tipos de Movimentos e as Competências 124
25. Sinais de saúde na escrita 136
26. Avaliação 360º ou Global 139
27. Modelos de Perfis Sintéticos por Competências 143
28. Gráficos de Perfis Sintéticos 146
29. Combinações úteis 148
30. Dados do autor 158


Em breve.

Wednesday, September 16, 2009


Formato eBook
GRAFOLOGIA guia prático - Ana Cecilia Amado Sette
77 páginas
www.lebooks.com.br

Pessoal

Acabei de ler o livro da Ana Cecília.
Trata-se de um manual de grafologia bem elaborado.
Não é tão básico como parece, pois os conceitos utilizados são estruturados.

Os exemplos de escritas são bem definidos, representam com precisão aquilo que a autora deseja passar ao leitor.
Trata-se de um dos pontos fortes do livro. Como a escrita evolui, o leitor vai trabalhar com grafismos atuais, fruto da vasta experiência de Ana Cecília em RH.

A clareza de exposição é outra qualidade do livro. Não poderia ser diferente, a formação em pedagogia propicia a autora este diferencial.
Facilita a compreensão, especialmente para quem não conhece grafologia.

O livro é indicado para iniciantes. Também para profissionais que não vão realizar Perfis Grafológicos, mas precisam conhecer a técnica que utilizam em suas empresas.

Para os profissionais de grafologia é um meio confiável de ampliar conhecimentos.

Por fim, a boa e velha biografia.
Ana Cecília Amado Sette não se furta a citar com precisão todos os livros que utilizou para suas pesquisas; muito embora sua biblioteca seja bem mais extensa.

Parabéns.
Merece uma edição em papel.

Friday, August 21, 2009

Grafologia no Programa da Ana Maria Braga
Tv Globo

Pessoal
No dia 19 de Agosto participei do programa da Ana Maria Braga.
Foi um bate papo com cerca de 30 minutos sobre grafologia, é claro.
O tema fluiu naturalmente e de modo bastante intimista e informativo.

Falei sobre os mais diversos aspectos da grafologia.
A apresentadora facilitou e muito a colocação dos argumentos.
Após analisar algumas escrita, foram mostrados livros de grafologia da Editora Ágora:
- Grafologia Expressiva.
- A grafologia no Recrutamento e Seleção de Pessoal
- Sua escrita - Sua Personalidade.

Agradeço a todos as demonstrações de carinho pela participação no programa.

Para quem não pode assistir pela TV, no site da globo ou acessando pelo link:

http://maisvoce.globo.com/MaisVoce/0,,MUL1272399-10345,00.html


Paulo Sergio de Camargo
Grafologia - Linguagem não-verbal
http://grafonautas.blogspot.com/
http://www.lingcorporal.com.br/

Wednesday, June 24, 2009

Teste seus conhecimentos
Solução
Pessoal recebi 16 respostas. A média de acertos foi 07 pontos.


1. ( F ) Crépieux-Jamin foi aluno de Michon.
Falso, Jamin nunca foi aluno de Michon.

2. ( F ) R. Pophal foi aluno de Klages.
Falso, R. Pophal nunca foi aluno de Klages.

3. ( F ) O primeiro livro de grafologia foi editado em 1887.
Falso, foi de Camillo Baldo – 1622)

4. ( F ) A grafologia no Brasil teve início nos anos 30 com Odette Serpa Loevy.
Falso, só no final dos anos 50 Odette Serpa inicia seus estudos.

5. ( F ) O principal livro de Pulver é “ Escrita e Caráter”. Ed. Paidós.
Falso, o principal livro de Pulver é o Simbolismo da escrita.

6. ( F ) Curth Honroth nasceu na Argentina e criou o conceito de palavras reflexas.
Falso, Curth Honroth nasceu na Hannover na Alemanha.

7. ( F ) São grafólogos da Espanha: Lamberto Torbidoni, Zanin, Silvio Lena, Palaferri, Nicole Boille, Bruno Vettorazo, A. Bidolli, (Itália)
Falso, são todos italianos.

8. ( F ) Hegar nasceu na Inglaterra.
Falso, nasceu na Alemanha.

9. ( V ) Solange Pellat foi uma famosa grafóloga francesa.
Falso era homem. Edmund Solange Pellat, autor das quatro leis da escrita.

10. ( V ) Augusto Vels foi aluno de Matilde Ras.


Em breve novo Teste seus conhecimentos 02

Wednesday, June 10, 2009

Teste seus conhecimentos

Coloque V (verdadeira) ou F (Falso)

1. ( ) Crépieux-Jamin foi aluno de Michon.


2. ( ) R. Pophal foi aluno de Klages.

3. ( ) O primeiro livro de grafologia foi editado em 1887.

4. ( ) A grafologia no Brasil teve início nos anos 30 com Odette Serpa Loevy

5. ( ) O principal livro de Pulver é “ Escrita e Caráter”. Ed. Paidós.

6. ( ) Curth Honroth nasceu na Argentina e criou o conceito de palavras reflexas.

7. São grafólogos da Espanha: Lamberto Torbidoni, Zanin, Silvio Lena, Palaferri, Nicole Boille, Bruno Vettorazo, A. Bidolli,

8. ( ) Hegar nasceu na Inglaterra.

9. ( ) Solange Pellat foi uma famosa grafóloga francesa.

10. ( ) Augusto Vels foi aluno de Matilde Ras.

Grau de dificuldade: Baixo.

Resposta na próxima semana.

Friday, June 05, 2009

Curso de Grafologia - Personalidades de Riscos

Sinopse
O estudo da dinâmica espacial e formas de movimentos é assunto prioritário para os grafólogos que desejam compreender de modo correto a escrita analisada.

O curso se propõe por meio de estudos baseados em "Personalidades de Riscos" de Paulo Sergio de Camargo e nos Exercícios Práticos; compreenção dos principais traços grafológicos ligados aos estudos de risco.
Material inédito.

Autores estudados; Robert Heiss, Klages; G. Moretti; Pulver, Torbidoni; Marchesan. Jamin; Honroth; K. Iannetta, A Bravo etc. Além de extensa pesquisa do próprio autor.

Os grafólogos poderão utilizar; mediante autorização expressa do autor - o material para os seus cursos.


Material
Pasta Dura com "Personalidades de Riscos"(127 pág. capa dura)
Exercícios Práticos
Certificado de Conclusão.


Condições;

Somente on-line ou in Company

Solicite email com informações - grafonauta@terra.com.br



TÓPICOS - Todos com exemplos práticos.
01 - Definições
Personalidade de Risco

02 - Regras de Avaliação –
Princípios Gerais
Ø Identificar os traços
Ø Avaliar a freqüência e a severidade de cada um
Ø Conjugar os traços entre si
Ø Realizar o relatório final

03 – Realizar o relatório final
Ø Descrição do Risco
Ø Probabilidade do Risco
Ø Risco Específico
Ø Risco e letalidade
Ø Descrição final

04 – Erros mais comuns

05 – Tipos de traços - Definição
Ø Traços Principais ou de Riscos
Ø Traços Agravantes ou Favorecedores
Ø Traços atenuantes ou Controladores

06 – Matriz de classificação de Riscos
Ø Teorias
Ø Frequência dos traços
Ø Severidade
Ø Avaliação Final de Risco
Ø Matriz de Risco - Resumida
Ø Os tripés de Risco
Ø Os problemas da tomada de decisão

07 – Características mais comuns
Ø Sinais de Agressividade na escrita
Ø Irritação
Ø Sinais de Insinceridade na escrita
Ø Personalidade Borderline
Ø Psicopatas
ØTraços da Brutalidade (Ricci della brutalitá)

08 – Traços de Risco
Ø Descrição de mais de 30 traços
Principais ou de Riscos
Ø Exemplos práticos

09 – Traços Agravantes
Ø Descrição de mais de 30 traços Agravantes
ou Favorecedores
Ø Exemplos práticos

10. Traços Atenuantes
Ø Descrição de mais de 30 traços
Atenuantes ou Controladores
Ø Exemplos práticos

11. Inventário dos traços.



Monday, June 01, 2009

Livro.

Handwriting Of The Famous And Infamous

(Paperback - Nov 2008)


Handwriting Of The Famous And Infamous, Sheila Lowe, 1592239595


Sheila Lowe é uma das mais respeitadas e atuante grafóloga norteamericana.
O livro; além da qualidade superior do papel e da formatação é repleto de informações.

São analisadas a personalidade do ditador Fidel Castro, Chaplin, Churchil, Clinton, Kurt Cobain, Edison, Darwin, Jaqueline Kennedy, Lennon, Da Vinci, Hitler etc.
São mais de 60 personalidades; algumas mais conhecidas pelos americanos.

A autora faz um retrato psicológico de cada uma delas; além de pequena biografia.
Trata-se de uma obra em que Sheila mostra toda sua capacidade de pesquisas e extensos conhecimentos grafológico.

Deve ser lida por todos os grafólogos.

Sheila Lowe, além de grafóloga é escritora e responsável pelo grupo de discussão
Vanguard.
www.sheilalowe.com
www.claudiaroseseries.com - forensic handwriting mystery series

Tuesday, March 10, 2009

Zoraide da Rocha Freitas em Foto de 1935.
Vou demorar mais um pouquinho para dizer quem é ela.

Edição da Postagem anterior:
A Foto data de 15/07/1935, em Ribeirão Preto. Ela tinha uns 37 anos.

Ela é a que está na direita de quem olha a foto, na fila debaixo.

Monday, March 09, 2009

Zoraide Freitas

Pessoal
Vejam o email que recebi do Sobrinho de Zoraide Freitas. Sem dúvidas uma das mais importantes grafólogas do Brasil.

Prezado Paulo,
Fico bastante contente com o seu contato !!! Bem, vou contar rapidamente a história....sou sobrinho neto da Zoraide Rocha de Freitas, irmã de minha avó materna Neide Rocha de Freitas Lisboa.
A Tia Zoraide era carinhosamente chamada por toda a família de “Sinhá” que era muito mais que um apelido....era seu codinome.

A Tia Sinhá veio a falecer em 1999 em SP Capital, aos 101 anos de idade. Ela viveu uma vida absolutamente direcionada aos estudos e a fazer o bem a todos ao seu redor. Optou, em sua juventude, em não ter casado, após uma desilusão amorosa.

Estudou e falava correntemente mais de 7/8 idiomas dentre eles inglês, alemão, japonês, espanhol, italiano, português, esperanto, etc.
Era profunda estudiosa da grafologia e não trabalhava nessa atividade, porém para amigos e parentes sempre auxiliava na leitura das letras e palavras para contribuir nas vidas pessoais de cada um....e obteve muitos e muitos casos de sucesso e de assertividade.

A minha avó faleceu em 2001 e minha mãe também se foi no mesmo ano...Além de todos os preceitos morais, de caráter, etc etc....herdei delas também um enorme acervo cultural de livros, quadros, móveis antigos, etc. Tenho ainda uns 3 mil livros comigo. Me desfiz de parte desse acervo tendo vendido ao Vitor, que me passou o seu contato.

Meu pai tem 83 anos de idade, está em excepcional saúde, aproveita muito a vida e mora junto comigo e minha família ( minha esposa e minha filha........o nome dela é Maria Alice Araújo da Veiga e tem 4 anos de idade ).

Quando minha mãe (sobrinha da Tia Sinhá) faleceu em 2001, então meu pai veio morar comigo !!! Moro em Brasília desde 2001, onde temos a sede nacional de minha empresa.

Envio anexo a esse email 3 fotos que separei da Tia Sinhá.


As fotos vou postar amanhã, só para deixar um gostinho de quero mais.

Tuesday, January 27, 2009

Friday, January 23, 2009




Barack Obama
Características gerais da escrita
Organizada
Legível
Combinada
Variações na direção das linhas
Variações na inclinação das letras
Ligeiras desproporções no tamanho das letras
Assinatura desproporcional
Os traços negativos são minimizados ou anulados pela limpeza e equilíbrio do texto.

Alguns traços da personalidade podem ser mais visíveis na combinação entre as variações na direção das linhas e as variações na inclinação das letras

A interpretação de Moretti para as variações na inclinação das letras.
Escrita Sinuosa - Quando a hastes das letras se inclinam docemente até que se cheguem próximas.
Signo substancial da inteligência e da vontade.
Talento psicológico, penetração intelectual, compreensão do ânimo e dos sentimentos dos demais.
Penetra na verdade dos problemas, avalia todos os aspectos diferentes das questões, principalmente os mais profundos, valoriza os dados e a situação não só pelo seu reflexo mais imediato, mas também com a implicações que eles terão aos demais.
É um observador atento que vê as particularidades em relação ao conjunto, ao essencial.
Tem disposição habitual para reconhecer todos os elementos, indicações e sugestões que considera válidas para ampliar e se aprofundar nos conceitos.
Tem o dom do diagnóstico profundo e preciso das pessoas, fatos ou situações.
Habilidade para encontrar os meios mais profundos e eficazes para estudar o espírito humano e compreender sua constituição psíquica e intelectual.
Não é fácil de cari em adulações, porque compreende o significado escondido em cada comportamento das pessoas. Desta capacidade pode chegar a induzir os demais a aceitar as suas conclusões.
Caso deseje enganar, tem capacidade para organizar-se do melhor modo para explorar as disposições dos demais em seu próprio proveito. Isto é auxiliado por sua grande habilidade de tocar nos argumentos que melhor atinjam os interesses psíquicos e afetivos de quem deseja utilizar-se para os seus fins.


Avalição individual dos traços no sentido anti-horário

Traço do Subjetivismo
Quando os traços finais de uma palavra são alargados na base em linha horizontal e executados com esmero e segurança.
Traço do Subjetivismo expressa a tendência a formar juízos sobre as pessoas, fatos ou coisas não segundo a realidade, senão seus próprios sentimentos ou interesse próprio; indica pretensão, sentido de superioridade.
Apresenta-se como exemplo ou modelo, exige obediência e respeito absolutos. No andar e nos gestos traduz a atitude do patrão, ostenta segurança de quem tem autoridade, tem os olhos com expressão de firmeza. Distinguindo-se sempre segundo um critério pessoal, tem sonhos de imposição e certa prepotência. (Moretti)

Traço do Procurador
De acordo com Klages; prudência desconfiada. Defesa ativa contra o medo do desconhecido (Faideau). Vontade de ter informações privilegiadas. (Camargo)

Arpão final
Capacidade de levar as idéias até o final.

Traço de reafirmação
Capacidade de impor suas posições. Quer ter a última palavra nos debates. Com escrita curvas, sabe escutar os demais, contudo mantém suas idéias até o final. Conciliação.

Ligações na z. superior
Inteligência acima da média. Capacidade de concatenar e trabalhar com duas ou mais idéias ao mesmo tempo.

Triângulo -
Golpes de sabre. Capacidade de impor sua vontade. Liderança ativa e participativa.

Traço de Mitomania – Alguns.
Quando os traços, sobretudo nos finais das palavras são alargados com lançamento em baixo das letras da palavra seguinte, ou marcados e tirados em linha reta quase abaixo da mesma letra.
Expressa a tendência a fixar-se em uma idéia, a inventar fatos imaginários, a dar uma interpretação subjetiva a fatos reais. Comum em advogados ou pessoas que precisam convencer outras por meio de palavras.

A síndrome gráfica mostra uma personalidade carismática e com capacidade intelectual e física acima da média.
Boa sorte.

Tuesday, January 20, 2009

Sunday, January 18, 2009

Livros Obrigatórios:

Pessoal
Estou lendo o livro:

Esame, prevenzione, rieducazione
CRISTOFANELLI P., LENA S. (a cura di), DisGRAFIE.
(Ed. Libreria Moretti – Urbino)


Trata-se de uma compilação de diversos artigos de grandes especíalistas em grafologia da Europa, principalmente da Itália.

O prefácio de Robert Oliveaux; especialista em Grafoterapia.
Trata-se de um livro obrigatório para quem estuda escrita infantil. Poderia ser utilizado por professores de escolas primárias e secundárias.

O livro se divide em vários temas (estão destacado ao longo do índice)

Indice
PACIFICO CRISTOFANELLI, SILVIO LENA
Introduzione 5


Alia base deila rieducazione

ROBERT OLIVAUX
Lezione magistrale 7

LORETTA BALDUCCI
Rieducazione deila scrittura: la questione etica prima dei metodo 11

ROBERT OLIVAUX
A proposito deile “doti” dei rieducatore grafoterapeuta 15
Sistema nervoso e scrittura

LUIGI CORDELLA
Neurologia delia scrittura 17
L’insegnamento delia scrittura e prevenzione della disgrafia

ALESSANDRA VENTURELLI
Come prevenire ia disgrafia. Un esperimento sulL’insegnamento delia scrittura 41

TIZIANA ZORLONI
Insegnamento della scrittura e prevenzione deiie difficoltà grafomotorie 62

PACIFICO CRISTOFANELLI
Modello scolastico e personalizzazione della scrittura 67
Evoluzione del linguaggio e della scrittura

EUGENIO LAMPACRESCIA
L’apprendimento del linguaggio: stadi e sviiuppo 75

SILVIO LENA
Evoluzione e personalizzazione della scrittura 101


L’esame del bambino disgrafico e la rieducazione della scrittura

ELETTA TRUCCO BORGOGNO
L’osservazione psicomotoria in caso di disgrafia 119

ANNE DE COLLONGUE
Osservazione della scrittura dei bambino. Diagnosi, situazione e contesto 130

MONICA PRATELLI
Le difficoltà di scrittura: diagnosi, prevenzione e recupero 141

LUCILLA TONUCCI
Individuazione deiie difficoltà grafomotorie 161

LUCILLA TONUCCI
Rieducazione della scrittura: modalità e criteri 165

MONIQUE PACAUD Esame dei bambino disgrafico. Metodologie per la rieducazione della scrittura. 177
Gli adolescenti disgrafici.

DONATELLA PLACIDI
Riflessioni sulla rieducazione della scrittura. 191
La prevenzione delle difficoltà grafomotorie

MARIE-FRANCE EYSSETTE
La scrittura del mancini 209


Tecniche e strumenti per ia rieducazione delia scrittura

FLORENCE WITKOWSKI
Tecniche di riLassamento e di visualizzazione. 223
Metafore terapeutiche nel bambino e nell’adolescente

SOFHIE LOMBARD
Riflessioni sulla rieducazione deila scrittura. 1 tracciati scivolati 229

FRANÇOISE FONTAINE, SUZEL BEILLARD, LUCIA COLISTRA
Schede per un percorso di rieducazione delia scrittura 232

FRANCESCA TURRA
Suggerimenti per ia rieducazione fisico-muscolare 240
Temi correia ti

WILLIAM ROVELLI
Lo studio come spazio fisico: descrizione tecnica di un ipotetico 246
ambiente per la riabilitazione

PACIFICO CRISTOFANELLI
Problemi psicologici e riflessi sulla scrittura 255
IDA MORI
Ii bambino iperattivo e la sua scrittura 267

LUCILLA TONUCCI
Rieducatore della scrittura, ragazzo disgrafico e insegnanti 276

MELISSA BRIZZOLA
Strutturazione di corso di aggiornamento sulle difficoltà grafo-motorie 280
Casi

CARMELA BERTOLINO
Le difficoltà di scrittura di un bambino audioleso 286

RITA PELLEGRINI
Storia della scrittura di Luca 291


Paulo Sergio de Camargo
Grafologia - Linguagem não-verbal
http://grafonautas.blogspot.com/
http://www.lingcorporal.com.br/

Excelência pelo conhecimento.