Monday, August 31, 2015

O traço em forma de Naja.

A Naja

Há anos falo da necessidade dos grafólogos de colocarem nomes nos traços. Criamos um verdadeiro zoológico grafológico. A grande vantagem da grafologia em relação às espécies existentes em nosso planeta é que nesta as descobertas são frutos de milhões de anos de evolução. Na grafologia a possibilidade do aparecimento de novos e interessantes traços é quase diária.


Dei o nome de Naja a este interessante traço que existe na língua portuguesa. No inglês e espanhol não existe este tipo de traço.
Frederico Kozin em seu livro Noções de Grafologia, 1957. Descreve este traço:  página 53, sexta lição: Formas e grau de ligação.
Fala em inteligência e capacidade de ligar associações distantes. Escreve que observou estes traços em “psicanalistas profissionais”, mas também com significação negativa na grafia dos sofísticos. (a linguagem é a do livro.)

Nos meus estudos chamei o traço de Naja, devido a postura da serpente.
O estudo de novos traços precisa se enquadrado dentro de uma ou mais espécies. Quanto mais espécies o traço vier acompanhado, melhor e mais intensa será sua interpretação.
A Naja se enquadra na espécie Progressiva-Regressiva; mas também é um traço combinado por excelência. Muitos traços se incluem no estudo da Curva, todavia que outros são mais angulosos. Quando o final é realizado em arpão o significado se amplia.
Teoricamente como se trata de um gesto final é mais inconsciente, especialmente porque muitas vezes está entre uma palavra e outra.


Escrita combinada
Sinal evidente de agilidade e de atividade mental, com lucidez de espírito e assimilação profunda, atividade criadora e facilidade em traçar hipóteses, fluidez de ideias e fácil elaboração de pensamento, costume de resumir e elaborar ideias, evolução espiritual, intelectual, percepção do mundo e das coisas que o rodeiam, iniciativa e superioridade moral, pensamento claro, inteligência superior, originalidade, capacidade de criar e transformar fatos ou acontecimentos, inteligência crítica, observações sagazes e necessidade de gerar coisas para seu próprio uso, necessidade de ser diferente.
Intriga e astúcia, inquietação, imprecisão, excesso de vivacidade, fadiga intelectual (Vels). Fraqueza, precipitação na forma de fazer deduções.


Progressiva-regressiva
No que diz respeito a escrita progressiva-regressiva estudei este traço como um reflexo de nossa sociedade. Ao mesmo tempo em que desejamos ir ao encontro dos demais, nos fechamos com grades em casas e condomínios etc. Andamos pelas praças e avenidas com as mãos nos bolsos e nas bolsas. Defesa e ataque prévio.
Como a escrita é um gesto social então o traço da Naja se tornou comum a partir da década de 80. Nos escritos da primeira metade do século XX eram raros por assim dizer e creio que estavam mais associados a inteligência do autor.
Hoje é um traço que assinala antes de tudo, pragmatismo e agilidade. Simplificação para atuar diante de todos, ao mesmo tempo em que se torno defensivo.


Orientação progressiva ou dextrógira
Os movimentos gráficos se dirigem para a frente, sem qualquer esforço, e são executados de maneira espontânea. A massa gráfica avança o papel naturalmente, Com melhor economia dos movimentos. O sentido dos traços é executado da esquerda para a direita.
Foi descrita pela primeira vez pelo Dr. J.Héricourt, no Bulletin de la Société e Psychologie physiologique, em 1897; no qual chama a atenção sobre o caráter diferencial das escritas que têm os traços dirigidos para a esquerda e para a direita. Pierre Humbert prefere usar os termos progressiva e regressiva em detrimento da denominação de Héricourt.
Para Jamin, a progressiva é a síntese das escritas: curva, centrífuga, combinada, ligada, acelerada, simples, simplificada e sóbria, em suas manifestações mais afortunadas.
São características da escrita progressiva:  
•   Predomínio das curvas, ligações e aberturas das ovais.
•   Escrita inclinada, pressão em relevo, rapidez.
•   Pequenas desigualdades.
•   Margem esquerda crescente.
Inteligência (Héricourt). Atividade, imaginação, atenção, facilidade de adaptação e clareza de intenções, resposta enérgica e constante aos estímulos, habilidade para trabalhar com estímulos múltiplos ou de diferentes origens, necessidade de contatos físicos e espirituais, socialização das tendências, instintos e necessidades, orientação da vida para o mundo, extroversão.
Necessidade de doar, desinteresse, bondade, benevolência, “altruísmo”, compaixão, “adaptação”, “amor ao próximo”. Vontade débil, falta de independência, irresolução, influenciabilidade. (Klages) (Trechos do livro Grafologia Expressiva.Ed. Ágora)

Traço curvo: Quanto termina em arpão a defensividade se faz com tensão, agressividade. Capacidade e defender seus pontos de vista de modo ameno, todavia que se apega a eles de modo intenso, portanto não deseja mudar.

Traço anguloso: Fortes apegos às ideias. Agressividade para defender seus pontos de vistas. Intransigência prévia, não quer aceitar o que os demais propõem.



Paulo Sergio de Camargo
Grafologia - Linguagem Corporal
www.lingcorporal.com.br
http://grafonautas.blogspot.com/
http://twitter.com/Grafonauta

Loja Virtual - Livros de Grafologia 
http://grafonauta.tudonavitrine.com.br/








Wednesday, August 26, 2015

Assinatura do Juiz Sergio Moro

Assinatura do Juiz Sergio Moro

 

A regra básica é que não se analisa uma assinatura isolada. Todavia mesmo assim ela pode trazer algumas informações importantes.

O traço inicial começa na zona superior e em forma de arpão:

Zona superior  -   Interpretação geral:
  • ·      esfera das ideias
  • ·      imaginação, razão, consciência
  • ·      intelecto, aspirações individuais
  • ·      projetos utópicos, fuga da realidade
  • ·      imaginação, fantasia
  • ·      pensamento abstrato, capacidade criadora
  • ·      idealismo, projetos utópicos e misticismo
  • ·      Deus, anjos, impulsos divinos, céus
  • ·      topo, alto, cume, estar em cima
  • ·      consciência individual
  • ·      estrutura da individualidade e espiritualidade
  • ·      ética, religiosidade

Arpão inicial
O arpão é um signo de tensão. Ao iniciar a palavra ou assinatura mostra que a pessoa tem ideias difíceis de serem mudadas. Mais ainda, parte para o debate com ideias próprias.
O final dos traços é realizado em forma de um pequeno gancho. Quando o traço volta sobre si mesmo é chamado de arpão sobreposto, neste caso a tensão do gesto se agrega a mentira. O arpão como todo movimento regressivo indica um freio brusco, uma contenção ou bloqueio na atividade que está realizando, de uma forma ou de outra se trata de energia cuja fluidez não é normal e afeta o ritmo da escrita.  
Interpretação
            A interpretação deste signo é extremamente variável, depende da zona em que ocorre e se o traço é final ou inicial. Uma das mais desfavoráveis é quando ocorre na zona inferior. Gille-Maisani, ampliando a obra de Jamin, classifica-o no gênero Direção a escrita “arponada” e cita as diversas interpretações de autores europeus. O grafólogo alemão Preyer vê no gancho a memória subconsciente do gesto de agarrar do bebê. Klages interpreta como teimosia, perseverança e tenacidade.
            Quando se volta para baixo, funciona como um soco na mesa de quem quer ter a palavra final. Esperteza e resistência física. Avidez e agressividade. Desejos de vingança.  Tensão, preocupação. 


Forma de facas
O traço seguinte ao arpão é regressivo e em forma de faca.
O traço toma forma de armas, facas, revólveres, espadas, arpão etc. Trata-se de um traço simbólico que necessita de estudos mais profundos para ser considerado. 
 Interpretação
            Assinala impulsos inconscientes. O escritor expressa sua imagem ou situação no papel. Quando em forma de facas, os ângulos demonstram agressividade, tensão, capacidade de ferir os demais, causar danos. Pouca habilidade para negociar internamente suas tensões e lidar de modo correto com suas frustrações. Exigências imperativas. Capacidade de impor suas opiniões e ideias. 

O traço final em um pequeno laço e estendido
Também chamado "traço da imposição".  A pessoa deseja ter a última palavra nas negociações.
A assinatura mostra traços contraditórios - Ângulos e curvas. 
O traço é ascendente: vontade, energia. 

Vou procurar algumas escritas e mais assinaturas. Lembrando sempre que a personalidade pública nem sempre corresponde a privada.

Curso de linguagem corporal 12 de setembro de 2015. São Paulo grafonauta@terra.com.br

Paulo Sergio de Camargo
Grafologia - Linguagem Corporal

www.lingcorporal.com.br
http://grafonautas.blogspot.com/
http://twitter.com/Grafonauta
 Loja Virtual - Livros de Grafologia
http://grafonauta.tudonavitrine.com.br/