Friday, September 19, 2014

Linguagem corporal de Marina Silva no Globo


Economia é o tema que deixa Marina mais insegura’, 
diz especialista em linguagem corporal

Já casamento gay é o assunto que a deixa mais desconfortável
durante sabatina promovida pelo GLOBO

POR MICHELE MIRANDA
11/09/2014 14:52 / ATUALIZADO 11/09/2014 15:55


Marina segura o anel na mão esquerda e usa apoio em um caderno: sinal de insegurança - 
Agência O Globo / Ivo Gonzalez


RIO - Enquanto falar de economia provoca insegurança a Marina Silva, candidata do PSB à 
Presidência da República, o casamento gay é o tema que mais causa desconforto a ela. A opinião é do 
especialista Paulo Sérgio Camargo, autor dos livros “Linguagem Corporal” (2010) e “Não minta para 
mim! Psicologia da Mentira e Linguagem corporal” (2012, ambos da Editora Summus), que analisou a
postura da presidenciável na sabatina promovida por O GLOBO, nesta quinta-feira.


— Economia é o tema que mais deixa Marina insegura, que mais causa preocupação. Ela ainda não
sabe bem o que vai fazer. Isso fica claro porque ela trava os movimentos corporais, deixa as mãos
mais coladas ao corpo, além de as expressões na testa ficarem mais marcadas. Mas ela é muito sincera 
sobre estar aberta à opinião de economistas experientes, porque olha para frente e faz o gesto de 
“sim” com a cabeça — opina Camargo. — É o casamento gay que a deixa mais desconfortável, 
chegando a gaguejar. Ela demonstra que não está à vontade. Aliás, ficou tensa durante toda a sabatina.
No início, agarrou-se a um caderno de anotações e não parava de mexer em um anel na mão esquerda.
Ela estava insegura, precisava de um apoio e usou esses objetos como uma muleta. Depois se sentiu
mais confortável e os abandonou.


Ao falar de economia, Marina trava os gestos das mãos - Ivo Gonzalez / Agência O Globo


Polarização de PT e PSDB, ataques feitos pelos presidenciáveis Dilma Rousseff e Aécio Neves, 
nova política e são temas que provocam emoção a Marina, de acordo com a observação de Camargo.

— Marina tem muita emoção na voz ao falar da nova política, até baixando o olhar. Ela exibe um tom 
messiânico, como se fosse ungida, a escolhida, para promover uma mudança pela qual tem muita 
convicção — comenta o especialista. — Ela fica abalada pessoalmente ao falar dos adversários políticos. 
Quando comenta os boatos de que é contra pré-sal, Marina curva o corpo, demonstrando
que há uma determinação para combater essas acusações. 
Ela sentiu esse golpe, mas não quer atacar Dilma e Aécio na mesma altura, não existe raiva, apenas tom
de acusação, ao apontar com o dedo indicador sempre que cita os nomes deles.


Marcas de expressão na testa = significa tensão.

Apesar de citar Eduardo Campos, morto em agosto, constantemente ao comentar as propostas políticas
 nascidas quando o candidato à Presidência pelo PSB ainda era ele, Marina parece querer deixar o
 passado para trás, especialmente quando perguntada sobre o avião em que viajava o candidato no dia 
do acidente.

— Ela fala superficialmente sobre o tema do avião, da empresa acusada de ser laranja. Isso demonstra
 que ela gostaria de deixar esse assunto de lado, tanto é que fala mais da família de Campos e menos das
 acusações, minimizando os gestos com as mãos e os braços.

A segurança no discurso de Marina aparece ao falar de suas opiniões sobre o meio ambiente:
— Ela tem uma opinião formada sobre isso e não vai mudar suas convicções. Marina está totalmente 
convencida sobre a matriz energética e não vai investir em usinas nucleares. Ela se preocupa mais com
os índios e com o meio ambiente, eles estão em primeiro lugar. Isso fica claro porque ao fazer as 
afirmações, ela inclina o corpo e a cabeça para frente.


Monday, September 15, 2014

GRAFOLOGIA

Assinaturas revelam os perfis 

Presidenciáveis têm marcas de autoritarismo, tenacidade, ambição e até mesmo autodestruição





Espanha, século XIV. Itália, século XVII. França, século XIX. A grafologia, estudo da escrita, teve início na Europa. Séculos se passaram, e a análise dos traços da escrita de cada um de nós pode revelar detalhes de personalidade. É aposta de empresas em todo o mundo que utilizam a técnica. Por que não apelar à grafologia para tentar entender o que há nas mentes dos candidatos nesta eleição?
Com mais de 20 anos de atuação e 30 mil análises no currículo, a grafóloga Sandra Santos percebe um traço agressivo na assinatura da presidente, com tendência a guerrear, especialmente aparente nos dois “s” em espadas. “Como não usa acento, falta concluir, faltam ideias claras apesar de querer propor”, avalia a especialista.
A presidenciável do PSB, a ex-senadora Marina Silva, gosta de ser compreendida e de ter clareza de ideias, destaca Camargo. Os traços sem ângulos indicam tenacidade e resistência, segundo ele. Sandra Santos diz, no entanto, que a ex-ministra de Meio Ambiente do governo Lula tem dificuldade de comunicação e parece confusa.
“Marina tem um traço de ambição, o pingo no ‘i’ vai no alto e indica isso. Também tem um traço de sabedoria, que nem sempre usa racionalmente”, diz. A especialista também detecta nos traços de Marina curvas que remetem a uma tendência natural de cuidar, “colocar debaixo da asa”. Já o fato de a assinatura não ser conclusiva é um fator que indica a dúvida.
Camargo avalia que os traços da assinatura do presidenciável tucano Aécio Neves revelam necessidade de ter contato com as pessoas, indicada pelo fato de começar pela parte inferior – algo bem típico de um político.
“O traço final que volta, chamamos de arpão. É sinal de tenacidade e resistência. Ele tem ideias que não vai mudar para o resto da vida, algumas até radicais”, avalia Camargo ao ver a assinatura de Aécio Neves. O pingo alto no ‘i’, para Camargo, sinaliza que o tucano considera sua palavra como a final. Além disso, por ser um pouco ilegível, o tucano mineiro não gosta de expor sua intimidade.
Para Sandra Santos, o início da assinatura de Aécio na parte inferior indica apelo forte às raízes. Ela acredita que um movimento no meio da assinatura pode revelar um comportamento autodestrutivo e, como Camargo, vê o laço relacionado à sedução, mas também empatia, que é uma das marcas de Aécio, conhecido pelo carisma.
Já o traço forte no pingo ampliado do ‘i’ associa-se a sonhos e aspirações. “O pingo não é pingo, é um risco, que é sinal de pessoas que sonham muito alto”, afirmou a grafóloga ouvida pela reportagem.

Comentários:
O pingo alto no ‘i’, para Camargo, sinaliza que o tucano considera sua palavra como a final.  O correto seria: o ponto final da assinatura. 

Já o pingo no i em forma de traço não é sinal de que a pessoa sonha muito alto, ao contrário. Tensão psíquica, ideias cortantes. 




Brazil Presidential Elections

LINGUAGEM

O corpo fala em busca do voto 

Postura, inclinação da cabeça, gesticulação e sorrisos dizem mais do que a comunicação verbal

PUBLICADO EM 14/09/14 - 03h00
Estudos do antropólogo norte-americano Ray Birdwhistell indicam: 35% da comunicação se dá verbalmente. O restante? Postura, inclinação da cabeça e movimentos das mãos. Até entre os menos atentos, mensagens do corpo se fixam no inconsciente. Quais são as dos principais candidatos ao Palácio do Planalto?
Dilma Rousseff (PT) não esconde suas caretas. Quem não se lembra de sua expressão durante a entrega da taça na Copa do Mundo? “Em termos de verbalização, Dilma é incisiva, e isso é positivo. Mas ela tem certas posturas, como apontar o dedo e falar com o queixo erguido, entendidas como ofensivas e arrogantes”, destaca o especialista em linguagem corporal Paulo Sérgio de Camargo.
Para ele, em termos gerais, a imagem corporal dos candidatos é “muito pobre” e poderia ser trabalhada a exemplo da postura do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.
No estilo, Dilma também trabalhou sua imagem desde quando era ministra. “Ela mudou para se tornar mais suave, sem perder a autoridade. O cabelo curto remete à independência, e o topete alto, a poder. Já o tom dos fios, mais claro, dá ar frágil e feminino”, analisa a consultora de imagem Dani Amado.
Com aparência frágil e postura curvada, Marina Silva (PSB) parece carregar o mundo nas costas, ressalta o especialista em linguagem corporal. “Ela é bem-articulada, sabe gesticular bem com as mãos, mas tem momentos de agressividade. Durante o debate, uniu o indicador e o polegar e, inconscientemente, mandou o jornalista para aquele lugar”, observa Camargo.
O cabelo sempre preso anula um pouco sua comunicação, mas a testa exposta remete à intelectualidade, diz a consultora de imagem. “Para quebrar o ar frágil, ela usa acessórios marcantes, como óculos e colar”.
Na linguagem corporal, o tucano Aécio Neves tem como ponto positivo o sorriso, mas não alonga o tom de voz e as mãos para dar emoção ao discurso, opina o especialista em linguagem corporal. “Sorrir significa que me olhar faz bem, que não sou agressivo, que minhas ideias são felizes. Em termos de beleza é o melhor”, diz Camargo. Dani Amado completa: os tons fortes no figurino, especialmente nas gravatas, remetem a poder, atenção e credibilidade.

http://www.otempo.com.br/capa/o-corpo-fala-em-busca-do-voto-1.915795

Paulo Sergio de Camargo
Grafologia - Linguagem Corporal
grafonauta@br.inter,net




Thursday, September 04, 2014

Especialista vê 'falta de emoção' em gestos do debate
FLÁVIA MARREIRO
​, ​
DE SÃO PAULO
03/09/2014 02h00

Não só no duelo de promessas se decide um debate. Mesmo que eliminasse o som da TV, o eleitor teria opiniões e sentimentos a respeito dos candidatos e, provavelmente, usaria algo disso em sua decisão de voto.
Pelo menos é o que acreditam especialistas que estudam o impacto da linguagem não verbal nas avaliações humanas –quer em julgamentos, quer em testes para detectar interesse amoroso.
No caso de eleições, é comum que candidatos treinem para suprimir gestos considerados negativos e potencializar os que provocam empatia ou exibem força e poder.
Considerando esses critérios, quem foi melhor no debate presidencial de ontem? A Folha convidou o especialista Paulo Sergio de Camargo, autor de "Linguagem Corporal" (Summus, 2010), para comentar as performances.
A avaliação geral de Camargo não é animadora: falta emoção aos postulantes, que não escapam do rótulo de "candidatos de farmácia". "Aqueles que pegam respostas prontas na prateleira. Ensaiam tanto que falam sem emoção! O corpo revela", afirma Camargo.
http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/09/1510029-especialista-ve-falta-de-emocao-em-gestos-do-debate.shtml
Algo da emoção demonstrada por Levy Fidelix (PRTB) nas considerações finais do embate de anteontem não viria mal, avalia o especialista.
Camargo crê que Dilma Rousseff (PT) evoluiu em seu desempenho corporal em relação a 2010, mas ainda peca por não neutralizar sinais que transmitem "arrogância".
Já Marina Silva (PSB) usa a seu favor a postura curvada, "que passa humildade", e a voz infantil, "que não gera desconfiança", em contraste com a ênfase de seu discurso. Seu ponto fraco é face tensa e sorriso de menos, que não combinam com a mensagem de esperança no "novo".
Aécio Neves (PSDB) é, para Camargo, correto, mas monótono. Ganharia se incorporasse algo do colega Eduardo Jorge (PV), o rei do gesto. O "gesto de batuta", com uma das mãos erguida, usado em memes na internet, virou sua marca. "Esse gesto tem um grande potencial dramático. [Barack] Obama usa. O problema é quando Eduardo Jorge exagera e vira caricatura de si mesmo."



Paulo Sergio de Camargo
Grafologia - Linguagem Corporal
grafonauta@br.inter.net
Cursos, palestras de Linguagem Corporal e Grafologia.